Viagens > 2004



Em Agosto e Setembro de 2004, a Casa do Tibete na Madeira, organizou 2 viagens ao Nepal e Tibete.

A de Agosto, de 2 semanas, com aproximadamente uma semana no Nepal e outra no Tibete. Visitámos mosteiros, templos e uma grande variedade de locais extraordinários e cheios de história. Participaram 22 pessoas, e atravessámos os Himalaias de jipe o que nos levou a altitudes superiores a 5200m. Fizemos uma viagem de avião entre Katmandu e Lhasa no Tibete onde avistámos o Mt Evereste.


Monges no Mosteiro de Kopan, onde pernoitámos uma noite, num dia de chuva.


Os participantes da viagem de Agosto, em frente de uma escola de refugiados e órfãos tibetanos onde fomos deixar doações e uma placa comemorativa da Casa do Tibete na Madeira


O fabuloso Palácio de Potala,em Lhasa, antiga residência de SS os Dalai Lamas. Hoje é um Museu e atracção turistica.

Em Setembro de 2004, houve mais uma viagem que levou mais 18 pessoas ao Tibete. Esta viagem foi mais longa, com 3 semanas e em que viajámos de jipe até ao Mt Kailash, no oeste do Tibete. Uma viagem extraordinária cheia de paisagens fabulosas e com uma grande carga espiritual. Depois de 4 dias de jipe a partir de Lhasa, chegámos a Darchen pequena localidade, no sopé da Montanha mais visitada e venerada do sudoeste asiático. A partir daí fizemos o percurso a pé o que levou 3 dias ( Kora) em redor da Montanha. Grandes foram as dificuldades devido ao longo percurso, á grande altitude em que nos encontrávamos ( sempre acima dos 5000 metros), e com severas condições climáticas. Mas foi uma viagem cheia de descobertas interiores e exteriores. Uma viagem memorável. Voltámos inspirados, mais abertos ao mundo e com a riqueza de ter estado entre os peregrinos num dos locais mais sagrados do mundo. Essa carga espiritual era quase que palpável, naquele local.


No planalto tibetano lê-se nas rochas e encostas o enorme trabalho de ascensão daquele planalto com as pressões das placas tectónicas durante milhões de anos.


Assim que saímos de Lhasa as estradas deterioram~se e tornam-se bastante más em alguns troços. No entanto, os cenários são tão espectacular que esque- cemos o desconforto e ficamos maravilhados com a paisagem.




A arquitectura e atenção ao detalhe nos monumentos e casas tibetanas espantou-nos a todos.


Os acampamentos dos nómadas tibetanos podiam ver-se em muitos locais e eram acompanhados de muitas cabeças de gado ( iaques, cabras ovelhas e cavalos)


A nossa comitiva era constituída por jipes e um camião


Alguns dos mosteiros que ainda existem mostram o esplendor e beleza que existiu no Tibete antes da ocupação chinesa. Hoje vêm-se mais mos- teiros em ruínas do que ocupados por monges...

MT Kalash